Não-Poesias | #1

Um dia vais estar em casa

ou na rua, a fazer a tarefa mais mundana:

a lavar o cabelo

a arrumar um armário

a encher o depósito

a comprar pão

e vais franzir o sobrolho porque

um peso que dormitava em ti há meses

levantou-se

Não vais encontrar o ponto em que deixaste de

querer deixar de existir

(que não é o mesmo que querer morrer)

e respirar vai voltar a ser um acto inconsciente

O coração é como a cauda de um lagarto:

a cada regeneração perde um pouco de si

nada que deva preocupar

os possuidores de um coração vasto.

Carina Pereira

in “Não-Poesias”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s