Crónica #2

27 de Janeiro de 2005

“Porquê? Porque é que tinhas de me deixar? Porquê agora, depois de me teres dito que o mundo era de nós os dois e estava na palma da nossa mão, que o sol nascia para me ver acordar de manhã e que um dia a lua tivera luz própria mas que essa luz estava agora nos meus olhos? Porque é que me tinhas de encher a vida e, principalmente, o coração de ilusões e de um amor que ele não consegue agora esquecer? Porque é que tens de ter esses olhos meigos e da cor do mel, porque é que me fizeste habituar à ideia de acordar e sentir os teus cabelos loiros a caírem de encontro às minhas pestanas e a tua mão a fazer-me festas no ombro? Porque sabias sempre o que dizer e porque é que parecia que tudo era real quando falavas, como quando me convenceste que um dia viajaríamos os dois pelo mundo, sem rumo nem objectivo,ao som de Phil Collins, enquanto me cantavas ao ouvido Against All Odds, que nos chegaríamos um ao outro porque o nosso amor nunca iria acabar? E porque é que me amaste deveras e acreditaste, enquanto me cantavas ao ouvido, em tudo o que disseste, em como iríamos dar uma volta ao mundo, em como seriam os teus olhos que eu iria ver todos os dias ao acordar e tu os meus, em como deslizarias a tua mão pelo meu cabelo e, como sempre, pelo meu ombro e finalmente entrelaçaríamos as mãos? Porque é que realmente me quiseste para partilhar uma vida e julgaste que iríamos, juntos, ser para sempre um só? Porque é que isso não era, pelo menos para ti, uma simples mentira? Seria tudo muito mais fácil. Porque eu não estaria agora aqui a rebentar em lágrimas e a molhar a tua fotografia e a lembrar o momento em que acabámos por uma parvoíce grande o suficiente para destruir a nossa vida. Porque seria muito mais fácil saber que acabei porque tinhas sido um sacana em vez do cavalheiro que sempre foste. E, principalmente, porque estaria aqui a chorar agora porque me enganaste e te odeio, em vez de chorar porque qualquer um de nós é orgulhoso demais para pedir desculpa.”

Carina Pereira

* Esta crónica foi dactilografada tal como estava escrita em 2005.

Anúncios

One thought on “Crónica #2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s