A Psicologia Da Produtividade

Não, não se aflijam que não vos vou maçar com dados científicos nem estatísticas. Esta é uma publicação pessoal mas isso não significa que não possa ter um título pomposo.

Hoje de manhã arrumei o meu computador portátil e parti para a biblioteca aqui da cidade. Já lá tinha estado, uma vez levada pela professora de Holandês numa dessas saídas “culturais” com a turma, outras vezes com uma amiga, mas de nenhuma das vezes me demorei por lá. Não existem livros em Português e os livros em Inglês consigo arranjá-los facilmente de outra forma, de maneira que nunca me deu para requisitar ou pesquisar lá nada.

Há umas semanas atrás estava a consultar o blog de um amigo Português que mora na Noruega, em que ele falava de ter decidido ir estudar para a biblioteca local, e com a ideia dele eu decidi que, se queria concentrar-me para escrever, o melhor seria ir para a biblioteca também.

Bem sei que tenho o meu cantinho em casa mas acabo sempre por me distrair por aqui. Para começar tenho sempre as tabs todas abertas: facebook, wordpress e vá lá saber-se mais o quê, de maneira que quando estou a escrever e preciso de consultar o dicionário online acabo sempre por cair no anzol de uma das redes sociais. Não consigo evitar. Na volta passei meia hora a escrever e duas no tumblr. Não funciona. Depois há também a comida. Estou em casa, tenho doces à mão e, para fazer uma pausa na escrita de que não preciso mas me convenço que sim, lá estou eu a comer. Durante o tempo que me demorou a escrever isto já consultei o facebook duas vezes e abri um pacote de batatas fritas.

Mas como ia contando, hoje fui para a biblioteca, esperando ser capaz de me concentrar melhor e de fazer o que realmente quero, que é avançar com esta minha história sobre a Morte. Resultou. Estive lá duas horas e meia esta manhã e foram mais produtivas do que a semana toda. Continuei a consultar os dicionários online mas não toquei nas redes sociais. Além de lá estar tudo calmo e silencioso, também é um espaço de trabalho e, como tal, foi isso que eu lá fiz: trabalhar.

A biblioteca é bonita; cá em baixo tem livros para requisitar e na parte de cima tem computadores com acesso à internet, salas com sofás e cadeiras onde as pessoas se podem sentar a ler livros, as revistas ou os jornais que eles lá têm, e depois há os cantinhos onde nos podemos sentar com o computador pessoal, a olhar lá para fora. Eu instalei-me numa mesa de madeira clara junto a uma janela e estive lá bem. Para a semana regresso.

Ah, não me posso esquecer do título! Sim, os espaços onde escolhemos trabalhar são, aparentemente, preciosos na produtividade. Biblioteca=Trabalho / Casa=Descanço. Ou pelo menos é assim que o meu cérebro parece separar as coisas.

Quanto à história, está a ganhar novos contornos e, a meu ver, corre bem. Durante a semana que vem publico aqui mais um excerto!

E, já agora, deixo-vos algumas imagens da biblioteca de Lommel!

Carina Pereira

 

 

[x]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s