Ah, música

Dou por mim a ver a minha criatividade a ser influenciada por tudo o que ouço, desde programas de rádio a músicas. No outro dia no trabalho – e suponho porque ando a ouvir tanta música Portuguesa ultimamente – umas letras vieram-me à cabeça, assim como uma melodia, baixa e indecifrável. Não sei tocar nenhum instrumento musical, por isso compôr torna-se dfícil. Estou a tratar da melodia com o único instrumento que possuo, que é a minha voz. Não é uma voz que cure tristezas, mas dá-me jeito mesmo assim.

Amanha, se tudo correr bem e conseguir decorar a melodia toda e fazer a gravação, talvez coloque aqui um link para ouvirem no que é que isto deu. A letra deixo-a aqui para já. Ainda sem titulo, e para ser cantada a duas vozes.

*

Vou devagarinho pela rua

Para não perder o Norte

Hoje vais ser meu e eu vou ser tua

Vamos fazer a nossa sorte

Vou devagarinho a olhar p’ró céu

Com o peito incandescente

Hoje vais ser minha e eu vou ser teu

Pois o coração não mente


Se o meu pai descobre vai ficar zangado

Se a minha mãe sabe fica o caso arrumado

Mas já não sou uma criança

Hoje trocamos alianças


Os papéis já estão tratados

Falei com o padre da freguesia

Prometeu guardar segredo

Dizer uma bonita homilía


Vou devagarinho pela rua

Com o peito incandescente

Conto os passos da minha casa até à tua

De nada desconfia esta gente

Vou devagarinho a olhar p’ro céu

Para não perder o norte

Sei de cor os passos que me levam até ti

Até ao teu abraço forte


O meu irmão emprestou-me o fato

A tua irmã comprou os anéis

Não são muitos os que sabem

Só os nossos mais fiéis


Convidamos dois amigos

Vêm para testemunhar

Vão levar a boa nova

Onde ela tem de chegar


Vou devagarinho pela rua

Para não perder o norte

Agora és meu e eu sou tua

Fizemos a nossa sorte

Vou devagarinho a olhar p’ró céu

Com o peito incandescente

Agora és minha e eu sou teu

E é para o todo o sempre


Disseste que era eterno

E eu piamente acreditei

E quase ao fim de uma vida inteira

Ainda é verdade meu bem


Vou devagarinho pela rua

Ao encontro do meu norte

Hoje ainda és meu e eu sou tua

Foste mesmo a minha sorte

Vou devagarinho a olhar p’ró céu

Peito ainda incandescente

Hoje ainda és minha e eu sou teu

E vai ser assim p’ra sempre


E vai ser assim p’ra sempre

E vai ser assim p’ra sempre


Carina Pereira

*

por favor não usem sem permissão. 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s